fbpx

CCT: O que você precisa saber sobre o novo sistema de controle de cargas da Receita Federal

As importações e exportações movimentam bilhões de dólares anualmente em todo o mundo. Para o ano de 2021, o Banco Central (BC) estima um saldo de US$ 53,35 bilhões para o comércio exterior brasileiro, de acordo com o boletim Focus, divulgado semanalmente pelo BC.

Dentre as modalidades mais utilizadas, o transporte de cargas aéreo é a segunda mais utilizada no mundo, sendo responsável por 35% do comércio mundial, perdendo apenas para a marítima, de acordo com dados da Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA).

Trazendo para o cenário nacional, as transações de importação em cargas aéreas movimentaram $50 bilhões, segundo dados da DW Aduaneiro um extrator de dados da base Siscomex.

Toda a carga que entra em nosso país é registrada em um sistema chamado Mantra, utilizado pela Receita Federal. Porém, esse sistema será substituído por uma nova ferramenta, chamada CCT, um sistema informatizado que permitirá a interação entre transportadores, agentes de carga e aduaneiras, no portal do Siscomex.

O que é o CCT

O sistema de Controle de Carga e Trânsito (CCT) será a nova ferramenta utilizada pela Receita Federal para cadastro das cargas aéreas, substituindo o atual sistema chamado Mantra. O CCT será um dos pilares do controle aduaneiro, com objetivo de melhorar a segurança, diminuir a burocracia e tornar os processos mais eficazes. “Com o CCT, haverá um controle mais rígido das informações, além da possibilidade de cruzá-las com mais eficiência. Isso dá mais segurança para quem operar o sistema”, comenta Fabiana Melo, analista e desenvolvedora da Muralis.

O que muda com o CCT?

A principal mudança desse novo sistema é a forma de acesso das empresas e agentes de carga. Diferentemente do Mantra, que dava total acesso às empresas e aos agentes de carga, o CCT disponibilizará apenas alguns serviços. “Hoje, os agentes de cargas e empresas aéreas acessam o Mantra via certificado digital ou por CPF e senha, e conseguem cadastrar todas as informações. O CCT não irá disponibilizar esse acesso. Dessa forma, as companhias aéreas e os agentes de carga vão precisar de um sistema que acesse esses serviços e transmita os arquivos para a Receita Federal”, explica Fabiana.

O que preciso fazer para me adequar ao CCT?

Com poucas funcionalidades liberadas de forma geral, empresas e agentes de cargas precisarão utilizar um sistema integrado ao CCT. A One System, companhia que atua com serviços de suporte às operações de carga de empresas de transporte aéreo no Brasil, está em fase final de testes de sua ferramenta One Cargo System, desenvolvida pela Muralis.

O sistema possibilita que a companhia aérea ou o colaborador da One System registre o manifesto de voo, os conhecimentos de carga individuais (AWB) e os conhecimentos de carga master (MAWB).

“Essas informações, por parte da companhia aérea e do agente de carga são transmitidas para a Receita Federal através de arquivos XML que seguem o padrão internacional determinado pela IATA que é a Associação Internacional de Transporte Aéreo”, comenta Fabiana que está à frente do projeto One Cargo System.

Além da transmissão, o sistema também disponibiliza uma consulta que indica se a Receita Federal conseguiu processar corretamente os arquivos enviados pela empresa.

“Importante ressaltar que ao declarar informações incorretas ou não declarar cargas, as empresas e agentes de cargas estão passíveis de multa aplicada pela Receita Federal”, complementa Fabiana.

Quer saber mais? Conheça essa e outras soluções da Muralis para Comércio Exterior.

De que forma os sistemas de informação passam ser cruciais para campanhas de vacinação contra a COVID-19

Com a iminência da disponibilização de vacinas para a COVID-19, teremos a mais abrangente e complexa campanha de vacinação já vista no mundo. Desta maneira, governos e instituições de saúde passam a ter um desafio de planejar com segurança todos os aspectos que uma operação dessa magnitude requer.

Dentre as diversas ações necessárias, o planejamento logístico é um dos principais aspectos a serem considerados para uma campanha de vacinação eficiente. Neste contexto, os Sistemas de Informação (SI), desenvolvidos com tecnologias tais como georreferenciamento, aplicativos móveis, dashboards, relatórios e inteligência artificial, podem ser cruciais para o sucesso efetivo da campanha de vacinação. Pois com os SIs é possível definir o processo de distribuição de vacinas, identificar falhas, apresentar alternativas, entender como está ocorrendo a campanha e até identificar efeitos adversos nas populações.

Logo, é imprescindível que as instituições de saúde e governos consigam:

  • Identificar locais de armazenamento e distribuição da vacina, pois as que estão em fase mais avançada para uso demandam armazenamento a frio, sendo que a vacina da Pfizer e BioNTech, que começou ser ministrada hoje no Reino Unido, demanda um armazenamento a -70 graus Celsius. Ainda se faz necessário mapear características como vias de acesso para veículos que irão transportar as vacinas, acessibilidade para populações vulneráveis, distância até às instalações de produção da vacina, tráfego e capacidade de armazenamento, serão determinantes para um planejamento adequado para armazenamento e distribuição da vacina.
  • Identificar grupos de risco, uma vez que se sabe que não são todas as pessoas que poderão ser vacinadas e não haverá doses suficientes da vacina disponíveis. Assim, a definição dos grupos de risco como, profissionais de saúde, profissionais de atividades essenciais, pessoas com idade igual ou superior a 65 anos e sejam os primeiros a serem imunizados.
  • Observar falhas no acesso e distribuição das vacinas de forma rápida, assim depois do mapeamento e identificação dos possíveis locais de distribuição e armazenamento, e a concentração da população que faz parte do grupo de risco, será possível identificar “gargalos” na distribuição da vacina a grupos prioritários e possibilitar tomadas de decisão para uma rápida resolução do problema.
  • Desenvolver um sistema de controle de vacinas passa ser essencial, já que as vacinas que estão em fase mais avançada de desenvolvimento e apresentam resultados mais significativos demandam que duas doses sejam ministradas para um resultado efetivo. Desta maneira, será necessário um controle rígido para identificar as pessoas que não receberam ou que tiveram ministradas uma ou duas doses. Este sistema também deverá controlar a dose de qual vacina uma pessoa tomou, uma vez que governos poderão trabalhar com diferentes vacinas, tornando-se importante monitorar o momento em que uma dose foi ministrada e quando a próxima dose deverá ser recebida. A capacidade de fornecimento deverá ser conhecida e a mesma deverá ser informada por região. Indicadores sobre a quantidade de pessoas já vacinadas, efeitos colaterais, além de ocorrências no fornecimento, são essenciais para uma gestão eficiente da campanha.
  • Acesso e compartilhamento de informações por diferentes governos, institutos de saúde e população precisam ter acesso às informações. Desta maneira, sistemas de informação que sejam acessíveis em diferentes plataformas passam a ser fundamentais.

Estes aspectos precisam ser considerados no planejamento das campanhas de vacinação, agora em dezembro na Europa (Reino Unido e Rússia) e possivelmente em janeiro no Brasil. Considerando o impacto mundial da pandemia da COVID-19 é esperado que transparência e responsabilidade sejam os principais fatores de atenção.

Muralis Tecnologia

Power BI: quais as vantagens de usar essa ferramenta?

Um estudo feito pelo International Data Corporation (IDC) mostra que a produção de dados dobra a cada dois anos. Não à toa, os dados são o “novo petróleo”. Por meio dessas informações é possível mapear comportamentos e prever tendências, por exemplo. Mas o que fazer diante desse oceano de informações?

Muitas empresas até coletam dados, mas sem o manuseio correto não é possível estabelecer metas ou ter insights para melhorar o desempenho e traçar estratégias é neste contexto que o BI se apresenta como uma ferramenta valiosa.

Bussiness Intelligence como aliado nesta jornada

O Business Intelligence, ou BI, é uma tecnologia que tem se tornado indispensável quando falamos em coleta, organização e análise de dados, o que possibilita que diretores gestores usem a inteligência de dados para tomar decisões estratégicas e assertivas.

Uma das formas de implementar essa solução ao seu negócio é por meio do Power BI, uma ferramenta desenvolvida pela Microsoft em 2015, que trabalha com grandes quantidades de dados vindos de diversas fontes e os transforma em gráficos que podem ser extraídos em tempo real.

Com interface intuitiva, o Power BI pode ser manuseado por usuários não técnicos. A plataforma permite que cada usuário monte painéis pessoais personalizados, reunindo informações de diferentes fontes, graças à grande integração do sistema com diferentes plataformas.

“Com o Power BI é possível percebermos o comportamento do usuário ou cliente, isso por meio da análise de dados coletados ao longo do período. Um exemplo que temos é a Compass Minerals, que passou a usar a tecnologia e conta agora com controle efetivo dos seus investimentos, eficiência na criação dos relatórios, governança, desempenho e escalabilidade”, afirma Rodrigo Rocha, sócio da Muralis.

Vamos agora conhecer algumas vantagens dessa ferramenta.

Formas de acesso

Power BI Desktop: Essa é a alternativa mais popular e recomendada, apesar de não estar disponível para usuários macOS. Uma das vantagens em se usar o Power Bi no desktop é a possibilidade de incorporar mais ferramentas ao dashboard.

Aplicativo móvel do Power BI: Está disponível para celulares ou tablets com os sistemas Apple iOS e Google Android. A maior vantagem dessa modalidade é ter acesso aos dados atualizados em tempo real, ao alcance de suas mãos.

Integração com diferentes soluções

Com o Power BI é possível reunir e integrar dados de inúmeras fontes, como por exemplo Excel, Google Analytics, Mailchimp, Oracle, SQL Service, IBM DB2, Postgre SQL, páginas da internet e muitos outros. As informações são coletadas de forma automática e com poucos cliques é possível limpar e combinar os dados de forma distinta. “A integração é um ponto muito positivo. Ter uma ferramenta que consiga ler diferentes dados e organizá-los de maneira inteligente, independente da fonte, é um grande ganho para as empresas”, comenta o diretor da Muralis.

Relatórios personalizados: insights para o seu negócio

Por meio da integração com diferentes soluções, é possível criar relatórios mais completos e reunir em uma mesma planilha dados financeiros, de produção, desempenho de funcionários, pontuações de satisfação do cliente e indicadores de marketing, por exemplo. Todas essas informações ajudam na hora de tomar decisões estratégicas e assertivas.

Segurança no acesso às informações

Para garantir a segurança das informações, o Power Bi utiliza o recurso Segurança em Nível de Linha (Row Level Security). Isso permite a definição de filtros que irão liberar ou não o acesso a determinados dados.

Dessa forma, o acesso a base de dados é restrito e os dados originais são protegidos, evitando alterações indevidas.

Baixo custo de implementação

Entre as plataformas de Business Intelligence, o Power BI é a que oferece o melhor custo benefício. O Power BI é licenciado por meio de uma assinatura mensal que dá acesso a utilizar uma infinidade de recursos disponibilizados pela plataforma. “Em comparação com as demais ferramentas de mercado, o valor do Power BI é muito acessível”, finaliza Rodrigo Rocha Silva.

O Power Bi também oferece uma versão gratuita, com acesso limitado às funcionalidades.

Quer saber mais? Conheça as soluções que a Muralis pode oferecer para tornar a sua empresa ainda mais eficiente.